Pular para o conteúdo principal

Postagens

Alminha do calvário

Postagens recentes

Freineda há 40 anos!

Graças à amabilidade da Mariana Estêvão, que cedeu estes retratos, podemos apreciar momentos da vida da Freineda, lá pelo ano de 1975!













Capela de Stª Eufêmia

Eis a capela de Stª Eufémia  vista de um ângulo menos habitual!

O Cruzeiro da Freineda

Retrato dos soldados freinedenses que foram lutar na 1ª Guerra Mundial e regressaram sãos e salvos.  Em memória e agradecimento aos mesmos foi levantado o cruzeiro da Freineda. De pé, da esquerda para a direita temos:Abel Augusto Gonçalves, ???, José Figueiredo, Januário Augusto Ferreira. Em baixo, sentado: desconhecido.Estes dois desconhecidos, que segundo o Zé do Ti Abel não são da Freineda, poderiam ser o Adriano (foi Guarda Fiscal) que terá sido casado com a irmã da Adoração do Nobre e o outro o Dionísio (apelido), parente da Conceição "Samarras". Além disso outros freinedenses que não estão neste retrato terão estado na 1ª Guerra Mundial. Segundo informação do Sr. Mário Fonseca e concordado pelo Ti Zé Pereira é da sua lembrança o cruzeiro ter sido erguido em 1945. O cruzeiro terá sido mandado fazer ou encomendado pelo Capitão Vitor da Ti Amélia Pinto. Para a inauguração do cruzeiro terá sido feito um "drama" ensaiado pelo Zé Nobre, pai do Álvaro Nobre. Partici…

Torre sineira da Igreja de Freineda

Torre Sineira Torre de grandes proporções, contígua à igreja matriz, ficando-lhe a sul. Tem 4 janelas sineiras e dois grandes sinos em bronze. Em cima do segundo corpo, no rebordo acima das janelas sineiras, todos os anos as cegonhas fazem o seu ninho e criam os seus filhotes. É um traço típico de vida, que os habitantes se habituaram a respeitar e que já faz parte da moldura integral da torre. (in http://www.terralusa.net/)
 Exterior: Estrutura de grandes dimensões, de planta quadrangular, formada por dois corpos e uma cobertura rematada por cata-vento, integra um portal em pedra trabalhada. Massa simples de volumes articulados e acentuada verticalidade, com cobertura diferenciada em zimbório, com remate em cornija em todas as fachadas. Fachadas do primeiro corpo com embasamentos e de panos delimitados por cunhais apilastrados em cantaria trabalhada. Fachadas do segundo corpo, com cornija , abertas por janelas sineiras com guardas em granito trabalhado, ladeado por cunhais  apilastrados…

Wellington na Freineda no Inverno de 1813

O Plano de Wellington «I cannot have a better opportunity for trying the fate of a battle, which, if the enemy should be unsuccessful, must oblige him to withdraw entirely.»
De acordo com Sir Charles Oman, o mais reputado historiador da Guerra Peninsular, Sir Arthur Wellesley, à época Marquês de Wellington, nunca colocou por escrito e de forma detalhada o seu plano para a campanha de 1813. Portanto, os historiadores tiveram que recorrer à correspondência de Wellington e a mais algumas referências indiretas para tentar perceber os seus objetivos e o plano destinado a atingi-los. Do resultado desse trabalho efetuado por Sir Charles Oman dá-se aqui um pequeno resumo.

Fotografia da casa em Freineda onde esteve instalado o quartel-general de Wellington durante o inverno de 1812-1813 (retirado de http://www.napoleon-series.org/military/virtual/c_freineda.html)

Durante o inverno de 1813, no seu quartel-general de Freineda, Wellington foi desenhando o seu plano para a campanha que tencionava ini…

Artesanato perdido na Freineda

Neste retrato podemos ver o senhor António Gaspar à porta da sua oficina construindo (ou reparando) uma alquitarra!